segunda-feira, janeiro 26, 2009

Controlinveste despede 122 trabalhadores


6 comentários:

Cs disse...

Se dos 122 jornalistas despedidos pelo menos 22 refletissem sobre o que escreveram e isso lhes servisse de lição já não perdiam tudo.

samuel disse...

Servem para aterrorizar os que ainda tem emprego, acalmando-lhes as veleidades de reivindicar seja o que for...
O pivot está em grande forma!

Abraço

Ogre disse...

Pois. Só é pena é que a existência de trabalho precário, trabalhadores a tempo inteiro a recibos verdes e demais imoralidades nas autarquias de maioria PC como é o caso paradigmático da CM de Almada, não seja objecto de denúncia, pelo menos de curiosidade por parte dos ferverosos militantes comunistas.
Como se pode ver aqui:

http://metoscano.blogspot.com/search/label/CMA

Cumprimentos

Ogre disse...

Àh pois, moderação activada para aprovação...

Pedro Penilo disse...

Ogre:

Para que não fiquem dúvidas:

1. Antes de mais, para abordar este tema de forma séria, mais do que artigos de opinião, recomendo a leitura do comunicado da Comissão de Trabalhadores do município (http://3.bp.blogspot.com/_lhCkUctAfaA/SRi4nVYv6dI/AAAAAAAAAuo/dzwTl6Gw0LA/s1600-h/CT_CMA.JPG) e, no site da Assembleia Municipal, dos requerimentos do Bloco de Esquerda e das respostas da Câmara ao primeiro dos requerimentos (estamos ainda no período de resposta ao segundo).

2. O PCP opõem-se - e luta contra - o Código do Trabalho e leis que favorecem e permitem a utilização abusiva do trabalho temporário. Opõem-se e luta contra o desrespeito pela lei, nos termos em que esta restringe a utilização de trabalhadores temporários. Opõem-se e luta contra a inacção da inspecção de trabalho em Portugal.

3. Os trabalhadores, os seus sindicatos e as comissões de trabalhadores devem organizar-se, reforçar-se e lutar com vigor contra todas as formas de exploração e discriminação. O PCP - ao contrário de outras forças políticas de esquerda - trabalha e luta para esse reforço, organização e combatividade, identificando sempre o objectivo essencial: derrotar o patronato retrógrado e as políticas de direita.

3. Ao contrário de outras "sensibilidades" políticas de esquerda, o PCP não hostiliza ou subvaloriza a organização e a luta dos trabalhadores e os seus sindicatos, antes trabalha e participa nelas com convicção e determinação.

4. Ogre "errou o alvo": por azar, acontece que o desenho, que consta no comunicado da Comissão de Trabalhadores do município, é meu. Não me foi pedida a permissão de utilização, nem era necessária, pois os meus desenhos estão sempre à disposição das estruturas de trabalhadores e organizações progressistas. Outro exemplo é ainda a utilização de desenhos do Pivô, no blogue dos Precários Inflexíveis.

5. Portanto, Ogre, aqui não tem lições para dar. Já agora, que está com esse entusiasmo todo, gostaria de saber a sua opinião sobre que formas de luta concretas devem os trabalhadores da Autoeuropa adoptar para impedir, sem choraminguice, o despedimento de 250 trabalhadores temporários, até à pouco seus colegas.

Pedro Penilo disse...

Ogre:

Não passo os meus dias à frente do computador. Também me acontece ter que dormir. A sua mensagem foi publicada imediatamente, mal a li, no dia seguinte. Infelizmente, o que não avistei logo foi a sua mensagem de incontida ansiedade (passados 3 minutos...), que hoje publico.

Tenho mais respeito pela sua inteligência; portanto não lhe explico para que serve a moderação.